30 de maio de 2011

Meditação Sobre a Sede na Manhã de Segunda-feira


por John Piper

Ao me ajoelhar naquela manhã de segunda-feira, durante meu devocional, disse: “Ó Senhor, tem misericórdia de mim, pecador! Ajuda-me. Por favor, vem e restaura a minha alma”. Em seguida, perguntei calmamente: “Senhor Jesus, o que querias dizer quando falaste: ‘Aquele… que beber da água que eu lhe der nunca mais terá sede’? Estou com sede nesta manhã. Ouvi meu colega David Livingston dizendo, ontem à noite, que ele tem sede. Quase todo crente que vem ao meu escritório tem sede. Qual era a tua intenção ao dizer que aqueles que bebessem da tua água não teriam mais sede? Não temos bebido? Esta promessa é vã?”


O Senhor respondeu. Ele me mostrou o resto do versículo, e derramou sobre ele uma luz que nunca vira antes. João 4.14 começa assim: “Aquele… que beber da água que eu lhe der nunca mais terá sede”. Isso foi o que me levou a clamar: “O que pretendias dizer? Estou tão sedento! Minha igreja está sedenta! Os pastores com quem eu oro estão com sede! Ó Jesus, o que querias dizer?”


Jesus respondeu da única maneira pela qual sei que Ele responde. Abriu-me os olhos para ver o significado do que disse na Bíblia. Eu já havia memorizado esse versículo na manhã do domingo, para a minha própria alma e para um possível uso na oração pastoral. Assim, enquanto eu orava, os elementos da comunicação divina estavam no seu devido lugar. (Oh! que percepção perdemos quando não memorizamos mais das Escrituras!)


Enquanto eu suplicava, a segunda parte do versículo falou por si mesma. Jesus disse: “Pelo contrário, a água que eu lhe der será nele uma fonte a jorrar para a vida eterna”. Com estas palavras, veio a resposta. Não era uma voz audível, e sim, a voz de Jesus, na Palavra iluminada e aplicada pelo Espírito Santo.
A resposta era assim: quando bebem da minha água, a sede de vocês não é aniquilada para sempre. Se isso acontecesse, vocês sentiriam, posteriormente, qualquer necessidade de minha água? Esse não é meu objetivo. Não quero santos auto-suficientes. Quando bebem da minha água, ela se torna uma fonte em vocês. Uma fonte satisfaz a sede, não por remover a necessidade por água, e sim por estar lá, para lhes dar água sempre que têm sede. Vez após vez! Como nesta manhã. Portanto, beba, John. Beba.


Agora, enquanto escrevo, vejo esta verdade preciosa no Salmo 23: “O Senhor é o meu pastor; nada me faltará”. Apesar disso, clamamos: “Ó Senhor, hoje eu tenho necessidades! Conheço centenas de pessoas que têm necessidades e confiam em Ti como o pastor delas. Qual a tua intenção ao dizer que nada nos faltará?”


Agora, aprendemos uma lição. Primeiramente, clamamos. Depois, lemos: “Ele me faz repousar em pastos verdejantes. Leva-me para junto das águas de descanso; refrigera-me a alma”. Refrigera-me. Isso significa que as necessidades surgem em minha alma, e, então, o Senhor Jesus as satisfaz. Elas surgem novamente; Ele as satisfaz. A vida é um ritmo de necessidade e suprimento — e, às vezes, um ritmo de perigo e livramento. “Ainda que eu ande pelo vale da sombra da morte…”. O vale se tornará (novamente) em verdes pastos, e as águas tranqüilas fluirão (novamente!). Até agora, a fonte está jorrando do interior e o fará para sempre. Por que a fonte, em nosso íntimo, não é nós mesmos; é Deus. “Quem crer em mim, como diz a Escritura, do seu interior fluirão rios de água viva. Isto ele disse com respeito ao Espírito que haviam de receber os que nele cressem” (Jo 7.38-39).


A sede é satisfeita pelo Espírito de Cristo revelando-nos a Si mesmo e as suas promessas, para a satisfação de nossa alma. Mas a sede não é obstruída, para que não percamos o impulso de vir a Ele vez após vez, em busca de tudo o que Deus prometeu ser para nós em Jesus.


Aquele que tem sede venha e continue vindo, até que nossa comunhão seja tão íntima, que não haja qualquer distância entre nós e o Senhor.

A mensagem da Cruz


“Porque a palavra da cruz é deveras loucura para os que perecem; mas para nós, que somos salvos, é o poder de Deus.” 1 Coríntios 1: 19
A mensagem da cruz é a palavra mais poderosa que qualquer pastor pode pregar, pois esta é mensagens que trás salvação. Porém Paulo lembrou muito bem ao afirmar que essa mensagem é loucura para os que não creem, pois como é possível alguém que morreu de forma humilhante na cruz, ter o poder de salvar a humanidade? Como pode o o maior símbolo de maldição, hoje se o maior símbolo da libertação? Os pensamentos do nosso Deus são muito mais além do nosso, a sabedoria de Deus é muito mais além da nossa, Deus usou as coisa loucas para confundir as sábias.

Sabe o que mais me deixa impressionado com a mensagem da cruz? É que em todo o Antigo Testamento ela já vem sendo pregado de forma simbólica, e o profeta Isaias, profetizou a respeito da agonia do Salvador (Isaias 53), ou seja, já estava tudo profetizado a respeito de Jesus, porém o mais impressionante é que Jesus foi rejeitado e crucificados pelos religiosos da época, aqueles que mais “conheciam” as escrituras. Como pode os “teólogos” da época que conhecia as profecias, não reconhecerem que Jesus era o Messias? Consideravam-se tão sábios, que foram confundidos com sua própria sabedoria, não conseguiram identificar a maior profecia que já vinha sendo feita desde Gêneses, não tinha discernimento espiritual, e muito menos um coração quebrantado, se achavam os mais sábios. Se você olhar os quatro evangelhos a maioria das pessoas que receberam Jesus, eram pessoas humildes sem muito conhecimento, mas que entenderam a loucura da pregação. “os judeus ficam buscando sinais, e os gregos tentam entender de forma lógica, mas nós pregamos Cristo crucificado, escândalo para os judeus, e loucura para os gregos” (1 Coríntios 1:22-23).

E nós? Quantas vezes não reconhecemos a Deus por não entendermos suas ações, queremos ficar pedindo sinais, e tentar entender de forma lógica. O sacrifício de Jesus na Cruz não tem lógica, pois não existe lógica humana para alguém deixar seu trono para morrer por um povo que ainda era pecador. Isso é loucura, e é através desta loucura que Deus decidiu salvar o mundo. E realmente poucas pessoas entendem a mensagem da cruz, poucos entendem o porquê do sacrifício de Jesus, poucos entendem que essa loucura foi feita, para que nós não precisássemos ser crucificados naquela cruz. Queremos muitas vezes nos passar por sábio e aí somos confundidos por Deus em nossa própria sabedoria.

Que possamos passar adiante dia pós dia essa loucura, não importando o irão achar disso, o fato é que Jesus morreu numa cruz de forma humilhante sim, mas ao terceiro dia ele ressuscitou, e hoje está sobre um trono de glória, e todos quanto aceitarem tem a vida eterna. Então se você é sábio ainda convido ser louco e receber Jesus Cristo como salvador.

por Maicon Oliveira

26 de maio de 2011

Viva o lado SANTIFICADO da vida!!



Somos mais do que vencedores em Cristo Jesus!

O reino de Deus está em sua vida?

Veja abaixo o que o Senhor nos diz a respeito de práticas que afastam o reino dEle de nós.
Se algum desses pecados tem prevalecido dentro de você, clame agora mesmo a misericórdia e o perdão do Senhor pois amanhã pode ser tarde demais!
 
Vamos guardar no coração!
Salmos 119:11 Escondi a tua palavra em meu coração, para eu não pecar contra ti.          

Wesley Scaglioni Ferreira

Galatas 5

16 - Digo, porém: Andai em Espírito, e não cumprireis o desejo da carne.
17 - Porque a carne cobiça contra o Espírito, e o Espírito contra a carne; e estes opõem-se um ao outro, para que não façais o que quereis.
18 - Mas, se sois guiados pelo Espírito, não estais debaixo da lei.
19 - Porque as obras da carne são manifestas, as quais são: adultério, prostituição, impureza, lascívia,
20 - Idolatria, feitiçaria, inimizades, porfias, emulações, iras, pelejas, dissensões, heresias,
21 - Invejas, homicídios, bebedices, glutonarias, e coisas semelhantes a estas, acerca das quais vos declaro, como já antes vos disse, que os que cometem tais coisas não herdarão o reino de Deus.
22 - Mas o fruto do Espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança.
 
 
 
lascívia
las.cí.via
sf (lat lascivia) 1 Caráter ou qualidade de lascivo. 2 Luxúria. Propensão para a lubricidade.
 
porfia
por.fi.a
sf (lat perfidia) 1 Contenda de palavras; discussão. 2 Afinco, constância, perseverança, pertinácia. 3 Obstinação, teima. 
 
emulação
e.mu.la.ção
sf (lat aemulatione) 1 Sentimento que incita a imitar ou a exceder outrem. 2 Estímulo. 3 Rivalidade que leva alguém a recorrer à justiça, sem fundamento, visando maldosamente a prejudicar a outrem.
 
dissensão
dis.sen.são
sf (lat dissensione) 1 Ato de dissentir. 2 Divergência. Discrepância. 4 Desavença, discórdia. Var: dissenso. Antôn(acepção 1): assentimento.
 
heresia
he.re.si.a
sf (gr haíresis+ia1) 1 Doutrina que se opõe aos princípios da Igreja. 2 fam Absurdo, contra-senso, disparate. 3 Ato ou palavra ofensiva à religião. Var: heregia.

25 de maio de 2011

Reflexões Diarias




1ª Reflexão
Tem alguem em nosso meio necessitando de alguma exaltação, alguma mudança brusca ou algum milagre?
A primeira coisa que temos que saber é que somente o Senhor pode nos dar. Ninguém mais pode!
O segredo é se humilhar, ou seja, estar no centro da Sua vontade com toda submissão e alegria pois as suas ordens só nos conduzirão as vitorias!!!
2ª Reflexão
Tem alguem em nosso meio ansioso por algo?
Ore a Deus pois a ansiedade não pode contagiar o seu coração. Seu coração tem que ser exclusivo do Senhor.
Por mais ansioso que voce esteja isso não acrescentará em nada em sua vida, ou seja, não te conduzirá ao caminho da vitória.
Deus ama ver um coração cheio de fé! Estar ansioso é duvidar do poder de Deus em nossas vidas. Vomite hoje mesmo essa ansiedade e deixe apenas o reconhecimento da soberania de Deus prevalecer no seu coração, afinal Ele vê todas as coisas, Ele sabe todas as coisas, Ele pode todas as coisas em sua vida!
3ª Reflexão
O diabo antes de ser nosso adversário se tornou adversário do Senhor. Ele foi rebeldeu e com isso foi expulso do terrotório do Pai (céu).
Assim sendo, toda vez que você se associa com  as coisas que ele implantou nesse mundo desde que enganou Adão e Eva e destruiu a comunhão inicial do homem com o Senhor, VOCÊ ESTÁ SE ASSOCIANDO COM O ADVERSÁRIO DO SENHOR.
Profetize em sua vida!!!

Wesley Scaglioni Ferreira.

1 Pedro 5


5 - Semelhantemente vós jovens, sede sujeitos aos anciãos; e sede todos sujeitos uns aos outros, e revesti-vos de humildade, porque Deus resiste aos soberbos, mas dá graça aos humildes.
6 - Humilhai-vos, pois, debaixo da potente mão de Deus, para que a seu tempo vos exalte;
7 - Lançando sobre ele toda a vossa ansiedade, porque ele tem cuidado de vós.
8 - Sede sóbrios; vigiai; porque o diabo, vosso adversário, anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar;
9 - Ao qual resisti firmes na fé, sabendo que as mesmas aflições se cumprem entre os vossos irmãos no mundo.

24 de maio de 2011

2000 Visitas


E ai pessoal abençoado de Deus...Bom dia e A Paz do Senhor Jesus.
Hoje estamos comemorando a marca de 2000 visitas no nosso querido blog. Temos muito o que melhorar, e sabemos que so chegamos a este número graças as pessoas abençoadas que tem nos visitado diariamente. Por este motivo, necessitamos que você nos diga o que mais poderiamos fazer para melhorar o nosso blog, De a sua sugestão nos comentários e em breve estaremos fazendo melhorias par que todos nos possamos usufruir. Então o que temos a dizer é

Parabéns para NÓS TODOS e Glórias a JESUS

23 de maio de 2011

O poder da Intercessão

 
Texto Bíblico: 1 Sm 12.23 “E, quanto a mim, longe de mim que eu peque contra o SENHOR, deixando de orar por vós; antes, vos ensinarei o caminho  bom e direito”  

Leitura Bíblica em Classe – Jeremias 14.1-3,7,8,10; 15.1

A INTERCESSÃO E OS SEUS PRIVILÉGIOS
 
1. A IMPORTÂNCIA DA INTERCESSÃO
* Tem o poder de aplacar a ira divina – Êxodo 32.32 Agora, pois, perdoa o seu pecado, se não, risca-me, peço-te, do teu livro, que tens escrito.
* Tem o poder de mudar decisões divinas - Êxodo 33.15 15 Então lhe disse: Se tu mesmo não fores conosco, não nos faças subir daqui.
* Tem o poder de evitar juízos divinos – Isaías 38.5 Vai, e dize a Ezequias: Assim diz o SENHOR, o Deus de Davi teu pai: Ouvi a tua oração, e vi as tuas lágrimas; eis que acrescentarei aos teus dias quinze anos.

2. A NECESSIDADE DA INTERCESSÃO
* Temos o dever de orarmos pedindo paz – Salmos 122.6 Orai pela paz de Jerusalém; prosperarão aqueles que te amam.
* Temos o dever de orar uns pelos outros – Tiago 5.16 Confessai as vossas culpas uns aos outros, e orai uns pelos outros, para que sareis. A oração feita por um justo pode muito em seus efeitos.
* Temos o dever de  orar em todo tempo – Efésios 6.18 Orando em todo o tempo com toda a oração e súplica no Espírito, e vigiando nisto com toda a perseverança e súplica por todos os santos.

3. A EFETIVIDADE DA INTERCESSÃO
* Tem o poder de vencer o inimigo – Êxodo 17.11 E acontecia que, quando Moisés levantava a sua mão, Israel prevalecia; mas quando ele abaixava a sua mão, Amaleque prevalecia.
* Tem o poder de trazer livramentos – Atos 12.5 Pedro, pois, era guardado na prisão; mas a igreja fazia contínua oração por ele a Deus.
* Tem o poder de enfrentar desafios – I Reis 18.36 Sucedeu que, no momento de ser oferecido o sacrifício da tarde, o profeta Elias se aproximou, e disse: O SENHOR Deus de Abraão, de Isaque e de Israel, manifeste-se hoje que tu és Deus em Israel, e que eu sou teu servo, e que conforme à tua palavra fiz todas estas coisas.

Fonte: Missao Aupe

Testemunho - Garotinha Vitória SC


Um testemunho impressionante, que serve como um tapa na cara  e nos alerta para o fato de colocarmos barreiras e restrições quanto ao poder de Deus e quanto ao que podemos realizar atraves do Amor, da Misericordia e da força do Espirito Santo.

19 de maio de 2011

Versiculos do dia.. Lucas 17- 7;10


E qual de vós terá um servo a lavrar ou a apascentar gado, a quem, voltando ele do campo, diga: Chega-te, e assenta-te à mesa?
E não lhe diga antes: Prepara-me a ceia, e cinge-te, e serve-me até que tenha comido e bebido, e depois comerás e beberás tu?
Porventura dá graças ao tal servo, porque fez o que lhe foi mandado? Creio que não.
Assim também vós, quando fizerdes tudo o que vos for mandado, dizei: Somos servos inúteis, porque fizemos somente o que devíamos fazer

Deixe Deus preencher o vazio que existe dentro de VOCÊ!

18 de maio de 2011

Versiculos do dia


Com cheiro suave me deleita-rei em vós, quando eu vos tirar dentre os povos e vos congregar das terras em que andais espalhados; e serei santificado em vós perante os olhos dos gentios. E sabereis que eu sou o SENHOR, quando eu vos introduzir na terra de Israel, terra pela qual levantei a minha mão para dá-la a vossos pais. Ezequiel 20:41,42

Perguntou-lhes, pois, a que hora se achara melhor. E disseram-lhe: Ontem às sete horas a febre o deixou. Entendeu, pois, o pai que era aquela hora a mesma em que Jesus lhe disse: O teu filho vive; e creu ele, e toda a sua casa. João 4:52,53

17 de maio de 2011

Tributo a David Wilkerson

Astrologia, quero não!


A Bíblia ensina que a astrologia é não somente uma atividade inútil (sem valor), mas algo tão mau que sua simples presença indica que o juízo de Deus já ocorreu (Atos 7.42-43). Tanto como filosofia ou como prática, a astrologia rejeita a verdade relativa ao Deus vivo, e em seu lugar conduz as pessoas a objetos mortos, como os astros e planetas. Assim como a Bíblia ridiculariza os ídolos, também o faz com os astrólogos e suas práticas (Isaías 47.13).

Entretanto, isto não tem evitado que a maioria dos astrólogos declare que a Bíblia apóia favoravelmente a astrologia. Jeff Mayo, fundador da Escola Mayo de Astrologia, declara que "a Bíblia está cheia de referências astrológicas". Joseph Goodavage, autor de Astrology: The Space Age Science (Astrologia: A Ciência da Era Espacial) e Write Your Own Horoscope (Escreva Seu Próprio Horóscopo), declara que "a Bíblia está cheia da" filosofia da astrologia.[1]

Os astrólogos "justificam" tais afirmações da mesma maneira que muitas seitas citam a Bíblia como evidência de seus próprios ensinamentos falsos e anti-bíblicos. Eles distorcem as Escrituras até ensinarem algo contrário à Bíblia.[2] Qualquer passagem bíblica que refute tais ensinos é simplesmente ignorada, mal interpretada, ou eliminada. Pode-se provar que todo texto bíblico citado pelos astrólogos para provar que a Bíblia apóia a astrologia foi mal interpretado ou mal aplicado.[3] Assim como a água e o óleo não se misturam, a Bíblia e a astrologia são totalmente incompatíveis. Alguns não-cristãos também admitem que existe "um abismo ideológico permanente entre ambas as crenças".[4]

Historicamente o cristianismo tem-se oposto à astrologia por três razões bíblicas. Primeiro, a Bíblia explicitamente rejeita a astrologia como uma prática inútil (sem valor). Uma prova disso está em Isaías 47.13-14, onde Deus afirma: "Ja estás cansada com a multidão das tuas consultas! Levantem-se pois, agora os que dissecam os céus e fitam os astros, os que em cada lua nova te predizem o que há de vir sobre ti. Eis que serão como restolho, o fogo os queimará; não poderão livrar-se do poder das chamas; nenhuma brasa restará para se aquentarem, nem fogo para que diante dele se assentem." Aqui vemos que, em primeiro lugar, Deus condena o conselho dos astrólogos babilônicos. Em segundo lugar, Deus disse que suas predições baseadas no movimento dos astros não os salvariam do juízo divino que se aproximava. Finalmente, Deus disse que o conselho dos astrólogos não era inútil somente para os outros, mas que nem os salvaria a eles mesmos (Deuteronômio 4.19; 17.1-5; 18.9-11; 2 Reis 17.16; 23.5; Jeremias 8.2; 19.13; Ezequiel 8.16; Amós 5.26-27).

A segunda razão bíblica pela qual o cristianismo tem-se oposto à astrologia é porque Deus proíbe as práticas ocultas. Basicamente, a astrologia é uma adivinhação. Esta é definida pelo Webster’s New Collegiate Dictionary (1961) como "o ato ou prática de prever ou predizer atos futuros ou descobrir conhecimento oculto". No Webster’s New World Dictionary (1962), a astrologia é definida como "a arte ou prática de tentar predizer o futuro ou o conhecimento por meios ocultos". Por ser uma arte ocultista, Deus condena a adivinhação como mal e como uma abominação para Ele, dizendo que ela leva ao contato com maus espíritos chamados de demônios. (Deuteronômio 18.9-13; 1 Coríntios 10.20).

Finalmente, a Bíblia repudia a astrologia por levar as pessoas à terrível transferência de sua lealdade ao infinito Deus do Universo para as coisas que Ele criou. É como dar todo o crédito, honra e glória às magníficas obras de arte, esquecendo completamente o grande artista que as produziu. Nenhum astrólogo, vivo ou morto, daria às pinturas de Rembrandt ou Picasso o mérito que corresponde aos autores, mas eles o fazem rotineiramente com Deus. Entretanto, Deus é infinitamente mais digno de honra que os homens, pois é Ele quem fez "os céus e a terra" e em Suas mãos está a vida de todos os homens (Gênesis 1.1; Daniel 5.22-23).

O que têm provado os testes de validade dos signos zodiacais (por exemplo, se você é de Peixes, Áries ou Leão)?

A astrologia diz que o signo zodiacal de uma pessoa tem grande importância para determinar a totalidade de seu caráter. A análise de um pesquisador do conteúdo da literatura astrológica revela 2.375 adjetivos específicos para os doze signos zodiacais. Cada signo foi descrito por uns 200 adjetivos (por exemplo, "Leão" é forte, dominante, rude – um líder nato; "Touro" é indeciso, tímido, inseguro – não é líder). Nesse teste, mil pessoas foram examinadas segundo 33 variáveis, incluindo o atrativo físico, a capacidade de liderança, os traços de personalidade, as crenças sociais e religiosas, etc. A conclusão foi que este teste falhou em provar qualquer predição astrológica: "Todos os nossos resultados podem ser atribuídos ao acaso."[5]

Foi feito outro teste para descobrir se os planetas influem na compatibilidade do matrimônio, ou seja, se existe uma indicação significativa do número de casais que continuaram casados porque seus signos demonstraram ser "compatíveis"? E os que tinham um signo "incompatível" se divorciaram? O estudo foi feito com 2.978 casais que se casaram e 478 casais que se divorciaram em 1967 e 1968. Este teste demonstrou que os signos astrológicos não alteravam significativamente o resultado em qualquer desses grupos. Os nascidos sob signos "compatíveis" casaram e se divorciaram com a mesma freqüência do que os nascidos sob signos "incompatíveis".[6]

Os astrólogos alegam que os cientistas e os políticos são favorecidos por um ou outro signo zodiacal. Ou seja, que há uma suposta conexão entre o signo de uma pessoa e suas possibilidades de êxito numa determinada profissão. Ao investigar esse tema, John McGervy comparou a data de nascimento de 16.634 cientistas e 6.475 políticos e não encontrou correlação que substanciasse as afirmações dos astrólogos. Não pode haver dúvida de que a distribuição de signos nestas duas atividades foi tão aleatória quanto entre o público em geral.[7]

Concluindo, a evidência científica atual mostra que não é válida a afirmação dos astrólogos de que seu signo influi em sua vida.

Conclusão

Enquanto a "luz dos astros" tem trazido dúvida e divisão entre os próprios astrólogos, e incerteza e frustração para o povo que anda sem direção, JESUS, o Criador de todos os astros celestes e de todo o Universo, apresenta-se como a verdadeira Luz do Mundo e declara que aqueles que O seguirem não mais andarão em trevas; mas terão a luz da vida (João 8.12).

Aos que estão buscando direção para suas vidas, Jesus convida: "Vinde a mim todos os que estais cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei... e achareis descanso para a vossa alma" (Mateus 11.28-30).

Na Bíblia, a Palavra de Deus, encontramos revelações claras de que nossas vidas estão nas mãos de Deus. Davi revela-nos no Salmo 139 que Deus tudo conhece e que não podemos fugir da presença dEle em hipótese alguma. Daniel, o profeta, declara ao rei Belsazar: "...Deus, em cuja mão está a tua vida, e todos os teus caminhos..." (Daniel 5.23).

Nossas vidas e nossos caminhos estão nas mãos de Deus! Que consolo e descanso é sabermos que nossas vidas estão nas mãos desse Deus amoroso! Para os babilônios, todavia, que se deixavam guiar pelos astros, não foi assim, conforme lemos em Isaías 47.13-15.

Diante de nós está a escolha a ser feita: saber o que dizem os astros a meu respeito, ou saber qual a vontade de Deus para a minha vida. Convém recordarmos as palavras do apóstolo Paulo na sua Carta aos Romanos: "E não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus" (capítulo 12.2).

John Ankerberg e John Weldon -
www chamada.com.br

13 de maio de 2011

O que é Aquilo?




Este curta metragem foi postado no youtube pela Returning to Calvary, missão ligada a Cruzada Estudantil e profissionais para Cristo Ele foi produzido pela Movie Teller Films, um empresa de curtas metragem localizada em Atenas, Grécia. 

Sinopse:Qual tem sido seu comportamento? Qual tem sido sua paciência, Deus tem sido como esse Pai, mas o pior de tudo é que temos sidos esse filho. Que haja em nós um verdadeiro sentimento de arrependimento. Que Deus ache graça em nós.

12 de maio de 2011

Votação do projeto que pune discriminação de homossexuais é adiada

Votação do projeto que pune discriminação de homossexuais é adiada

O pecado quer te matar!

A Autoridade de Cristo - Mateus 28.18-20



O Senhor Jesus tem toda autoridade no céu e na terra. O nome de Jesus está acima de todo nome... diante do nome de Jesus todo joelho se dobrará e toda língua confessará que Ele é o Senhor (Fp 2.9-11).

Vou enfatizar hoje apenas quatro áreas:

1. A Autoridade de Cristo Sobre as Tentações.
a) Em tudo Jesus foi tentado mas não pecou (Hb 4.14-15).
b) Jesus é poderoso para nos socorrer (Hb 2.18; 1 Co 10.13).
c) Jesus venceu as tentações do diabo usando a autoridade da Bíblia (Mt 4.1-11).
d) O Senhor livra da tentação os seus filhos fiéis (Ap 3.10; 2 Pe 2.9).
e) Nas mãos de Jesus você está seguro (Jo 10.28).
f) Jesus tem toda autoridade sobre as tentações (1 Jo 5.18; Jd 24,25).

2. A Autoridade de Cristo Sobre o Pecado.
a) Cristo aniquilou o pecado (Hb 9.26).
b) Jesus não cometeu pecado nenhum (Is 53.9; 1 Pe 2.22).
c) Jesus carregou em seu corpo sobre a Cruz os nossos pecados (1 Pe 2.24).
d) Em Jesus nós fomos feitos justiça de Deus (2 Co 5.21).
e) Jesus é o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo (Jo 1.29).
f) O pecado não tem domínio sobre os filhos de Deus (Rm 6.14).

3. A Autoridade de Cristo Sobre os Demônios.
a) Cristo Jesus destruiu o poder do diabo (Hb 2.14).
b) Com autoridade Jesus ordena aos espíritos imundos, e eles lhe obedecem (Mc 1.27; Lc 4.36). Ex: O endemininhado garareno...
c) Jesus veio para destruir as obras do diabo (1 Jo 3.8).
d) Jesus veio para proclamar libertação aos cativos (Lc 4.18).
e) Jesus Cristo lançará o diabo e todos os demônios dentro do lago de fogo (A 20.10,14).
f) Satanás é o destruidor, Jesus é o Libertador... (Cl 1.13,14).

4. A Autoridade de Cristo Sobre as Doenças.
a) Jesus cura todas as doenças e enfermidades (Mt 4.23; 9.35).
b) Jesus Cristo pelo poder do Espírito Santo andava por todos os lugares curando a todos... (Lc 1.14; At 10.38).
c) A cura física não é o resultado do que fazemos, e sim o resultado do que já foi feito por Cristo na Cruz (Is 53.4-5).
d) A cura física nos pertence, só precisamos crer e declarar em fé... (1 Pe 2.24).
Ex: A grande epidemia que houve em Sidney na Austrália. Em 1857, a Primeira Igreja congregacional já havia enterrado 40 membros... o Pr. Dawie, começou a ministrar a cura física para os membros da igreja... durante 19 anos seguintes nenhum membro da igreja morreu de doenças...
e) Comece a declarar agora mesmo que você está curado em nome de Jesus. Haja perfeita saúde no seu corpo.
f) A fé na Palavra de Deus traz à existência as coisas que não existem... tudo o que você crê r confessar em fé será feito (Mc 11.24).
g) Diga que você está curado pela fé na Palavra de Deus. Jesus carregou todas as doenças na Cruz, você já não precisa carregá-las... (Is 53.4-5).

Quando o Senhor Jesus morreu na Cruz e ressuscitou dentre os mortos, Ele deixou Satanás eternamente derrotado...

Jesus morreu e ressuscitou para nos dar salvação eterna, somos redimidos de toda e qualquer maldição da lei, o que inclui qualquer tipo de doença. Jesus se fez maldição por nós, razão porque já carregamos nenhuma maldição (Co 2.13). Somos justiça de Deus em Cristo Jesus (2 Co 5.21; Rm 8.34). O pecado não tem domínio sobre nós, doenças não domínio sobre nós. Temos autoridade sobre Satanás e os demônios (Lc 19.10). Pelas pisaduras de Cristo fomos curados. Somos eternos vencedores em Cristo Jesus. O justo vive pela fé.

11 de maio de 2011

O pecado quer te matar!

A Autoridade de Cristo - Mateus 28.18-20



O Senhor Jesus tem toda autoridade no céu e na terra. O nome de Jesus está acima de todo nome... diante do nome de Jesus todo joelho se dobrará e toda língua confessará que Ele é o Senhor (Fp 2.9-11).

Vou enfatizar hoje apenas quatro áreas:

1. A Autoridade de Cristo Sobre as Tentações.
a) Em tudo Jesus foi tentado mas não pecou (Hb 4.14-15).
b) Jesus é poderoso para nos socorrer (Hb 2.18; 1 Co 10.13).
c) Jesus venceu as tentações do diabo usando a autoridade da Bíblia (Mt 4.1-11).
d) O Senhor livra da tentação os seus filhos fiéis (Ap 3.10; 2 Pe 2.9).
e) Nas mãos de Jesus você está seguro (Jo 10.28).
f) Jesus tem toda autoridade sobre as tentações (1 Jo 5.18; Jd 24,25).

2. A Autoridade de Cristo Sobre o Pecado.
a) Cristo aniquilou o pecado (Hb 9.26).
b) Jesus não cometeu pecado nenhum (Is 53.9; 1 Pe 2.22).
c) Jesus carregou em seu corpo sobre a Cruz os nossos pecados (1 Pe 2.24).
d) Em Jesus nós fomos feitos justiça de Deus (2 Co 5.21).
e) Jesus é o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo (Jo 1.29).
f) O pecado não tem domínio sobre os filhos de Deus (Rm 6.14).

3. A Autoridade de Cristo Sobre os Demônios.
a) Cristo Jesus destruiu o poder do diabo (Hb 2.14).
b) Com autoridade Jesus ordena aos espíritos imundos, e eles lhe obedecem (Mc 1.27; Lc 4.36). Ex: O endemininhado garareno...
c) Jesus veio para destruir as obras do diabo (1 Jo 3.8).
d) Jesus veio para proclamar libertação aos cativos (Lc 4.18).
e) Jesus Cristo lançará o diabo e todos os demônios dentro do lago de fogo (A 20.10,14).
f) Satanás é o destruidor, Jesus é o Libertador... (Cl 1.13,14).

4. A Autoridade de Cristo Sobre as Doenças.
a) Jesus cura todas as doenças e enfermidades (Mt 4.23; 9.35).
b) Jesus Cristo pelo poder do Espírito Santo andava por todos os lugares curando a todos... (Lc 1.14; At 10.38).
c) A cura física não é o resultado do que fazemos, e sim o resultado do que já foi feito por Cristo na Cruz (Is 53.4-5).
d) A cura física nos pertence, só precisamos crer e declarar em fé... (1 Pe 2.24).
Ex: A grande epidemia que houve em Sidney na Austrália. Em 1857, a Primeira Igreja congregacional já havia enterrado 40 membros... o Pr. Dawie, começou a ministrar a cura física para os membros da igreja... durante 19 anos seguintes nenhum membro da igreja morreu de doenças...
e) Comece a declarar agora mesmo que você está curado em nome de Jesus. Haja perfeita saúde no seu corpo.
f) A fé na Palavra de Deus traz à existência as coisas que não existem... tudo o que você crê r confessar em fé será feito (Mc 11.24).
g) Diga que você está curado pela fé na Palavra de Deus. Jesus carregou todas as doenças na Cruz, você já não precisa carregá-las... (Is 53.4-5).

Quando o Senhor Jesus morreu na Cruz e ressuscitou dentre os mortos, Ele deixou Satanás eternamente derrotado...

Jesus morreu e ressuscitou para nos dar salvação eterna, somos redimidos de toda e qualquer maldição da lei, o que inclui qualquer tipo de doença. Jesus se fez maldição por nós, razão porque já carregamos nenhuma maldição (Co 2.13). Somos justiça de Deus em Cristo Jesus (2 Co 5.21; Rm 8.34). O pecado não tem domínio sobre nós, doenças não domínio sobre nós. Temos autoridade sobre Satanás e os demônios (Lc 19.10). Pelas pisaduras de Cristo fomos curados. Somos eternos vencedores em Cristo Jesus. O justo vive pela fé.

Os louvores do diabo


Ah, se o nosso discernimento fosse apurado! Quantos dissabores evitaríamos! Mas, que se há de fazer? 

          Jesus disse que Judas Iscariotes era filho do diabo. Chamou-o também de diabo e filho da perdição. Certa feita até Pedro foi identificado como Satanás, ao tentar convencer o Senhor de que o Seu sacrifício poderia ser evitado. Assim, não estou cometendo nenhum erro ao afirmar que o diabo está presente em nossa igreja. Aliás, em nossas igrejas, pois nenhuma é melhor ou pior, se for realmente igreja de Jesus. E o diabo assiste em todas elas, na qualidade de joio no meio do trigo e Judas no meio dos apóstolos. 

          E o que o diabo faz em nossa igreja?
          O diabo está lá para tumultuar, para criar confusão, para iludir, para criar partidos, para corromper. É o seu papel tentar os filhos de Deus. E como tenta! Agora, a tentação, para ser tentação que preste, tem que ser apetitosa, gostosa, desejosa, pois, caso contrário, seria muito fácil resistir a ela. Então ele vem disfarçado. Disfarça-se de gente de Deus, de crente, de líder, de mulher, de adorador, e como se torna atuante! 

          Quais as coisas que o diabo gosta de fazer entre os crentes? Há coisas que ele faz para nos confundir. Coisas muito boas, que nós fazemos também. 

          Ele gosta de cantar. Ah, e como canta! Em igrejas tradicionais ele exige milimetricamente que os hinos sejam cantados e entoados corretamente. Ele canta, às vezes sabe tudo decór! Em igrejas pentecostais ou comunidades, ele vibra, pula, canta, chora, ele é o mais entusiasmado do auditório. Às vezes até inventa novos cânticos. Nos momentos emotivos dos hinos, ele chora, levando as pessoas próximas também às lágrimas. Se for o dirigente, então, nem se fala: o louvor é fenomenal - todos ficam sensibilizados.
          Ele gosta de falar. Ele conhece a bíblia muito bem, e sabe aplicá-la perfeitamente! Sabe o endereço de textos difíceis e sabe usá-los com extremo cuidado e sabedoria. Se aconselha a alguém, faz uma verdadeira pregação "a la carte", distante, mas profunda. Ele gosta de concorrer em concursos bíblicos, gosta de decorar salmos inteiros, aprende com facilidade lições para ensinar na Escola Dominical, anota tudo para não esquecer. Sua bíblia é bem marcada e demonstra ser muito bem usada. 

          Ele está sempre pronto a fazer alguma coisa em prol da igreja ou em prol do líder. Se precisarem dele para trabalhar com favelados, ele é o primeirão da lista. Se tiver vigília, ele não faltará. Quando há reunião de líderes, ele está sempre presente. Não tem tempo ruim para o trabalho de departamento ou de igreja. Ele distribui folhetos, participa de cultos ao ar livre, ajuda a fazer palhaçadas nas atividades com a criançada do bairro, faz viagem missionária, coloca sua casa à disposição dos cultos, enfim, está ativo totalmente. Se canta, canta em todos os coros e conjuntos. Se fala, procura sempre uma brecha para dar uma palavrinha. Se ouve, é o mais atento de  todos.
          Ele chora, ah, como chora! É por demais emotivo! E são emoções fortes, sentidas! Quando ora, suas palavras calam fundo nos corações. Gosta de conversar com as pessoas. Ele é tido como alguém realmente tocado pela emoção, um animador! Nos cantos congregacionais, nos cultos da comunidade consegue dar um colorido especial às reuniões. Quem olha para ele diz: Que pessoa fabulosa! 

          Alguém me perguntaria: as pessoas que são assim são o diabo?
          E eu responderia: Não. Pessoas assim são o sonho de toda igreja e o desejo de todo pastor. Eu só estou citando as coisas que o diabo TAMBÉM faz. 

          Para saber quem é o diabo em nossas igrejas precisamos avaliar O QUE O DIABO NÃO FAZ DE JEITO NENHUM, pois somente assim o descobriremos sem erro, com extrema precisão. 

          O diabo não vive o que canta. Ele canta bonito, canta afinado, canta com beleza, mas é um hipócrita. Ele canta que se deve amar, mas ele mesmo não ama. Todas as suas  bondades são interesseiras, fruto da cobiça, visando interesses pessoais. Ele canta louvores, mas nunca agradeceu verdadeiramente a Deus nem uma xícara de café. Ele não é coerente. Canta que se deve ter fé e não tem. Canta que se deve perdoar e não perdoa. Ele é um mentiroso. Seus cânticos são para aparecer, para mostrar voz, para fazer sucesso, para gravar CDs, para ser louvado. Canta puramente por profissão, ou por costume. O seu cântico é bonito, mas não tem vida, não é louvor. Ele emociona o auditório, mas não muda corações, não transmite nada, não tem unção do Espírito Santo. 

          O diabo só fala e nada faz. Ele é um impostor. É muito bom na teoria; talvez não exista alguém mais bem preparado do que ele para falar de seitas, de doutrinas, de céu, de inferno, de usos e costumes. Ele tem uma lábia de fazer inveja. Fala e fala bonito. Num debate não tem pra ninguém - vence todos! Mas quem mora com ele sabe que tudo não passa de fachada, de mentira, de hipocrisia, de casca. Ele veste uma capa de cristão para ir à igreja e a tira quando retorna. Ele diz que não se deve beber, e bebe. Ele diz que não se deve amaldiçoar, e amaldiçoa. Ele diz que não se deve adulterar, e adultera. Ele diz que não se deve deixar de dizimar, e não dizima. Ele é um joio, um falsário, um farsante. Em teoria é 10, em prática é 0, e com louvor! 

          O diabo é um ativista, mas não é um servo. Ele faz muito sim, mas faz para si próprio, pois não tem a menor consciência de estar servindo ao Senhor. Ele serve à igreja, ao pastor, à diretoria, à família, ao programa, mas jamais serviu a Deus. Deus não faz parte de suas prioridades. Ele faz da igreja um palco, já que não obteve sucesso nos palcos da vida. Ele quer ser na igreja o que nunca pôde ser enquanto trabalhador ou membro da família. Quer provocar medo nos mais novos, espanto nos mais velhos, acha que ganhará respeito trabalhando como um doido, criticando os jovens, corrigindo os idosos, insultando ao ministro da igreja. Marta ainda fazia café para Jesus no dia em que o hospedou ao lado de sua irmã Maria, mas esse diabo nem sabe o que é ou quem é Jesus. Jesus é apenas um detalhe, um pretexto. Gosta de ver seu próprio nome nas listas de diretoria, nos jornais, nas revistas, gosta de ser citado e tudo faz para se destacar. Mas ele não conhece a Cristo, seu trabalho é absolutamente vão, ele já está recebendo a sua recompensa. 

          Por fim, suas lágrimas não são sinceras; são lágrimas de crocodilo, falsas como uma nota de 6 reais. Chora fácil, é capaz de fingir como um artista experiente. Ele é digno de um Óscar! Consegue simular muita emoção junto de um irmão e em seguida atender a um telefonema com completa alegria e desembaraço, como se nada tivesse acontecido. Ele mente. Mente o amor para com o cônjuge, pois é capaz de jurar amores e traí-lo em seguida. Mente para o namorado, fazendo juras e postando declarações ilusórias, para, em seguida, mostrar-se traiçoeira. Mente aos filhos, porque ordena-lhes que sejam o que  nunca foram e nem serão. O diabo chora quando tem que pedir perdão, mas faz tudo igual em seguida, e cada vez pior. Sua mente está cauterizada, seu coração endurecido, sua alma perdida e sua vida estragada. O diabo é absoluta e totalmente INGRATO, e faz questão que o cônjuge (ou ex) saiba disso. 

          O diabo pode fingir os dons espirituais, mas jamais poderá simular o FRUTO DO ESPÍRITO. Ele pode simular os chamados dons de sinais, pode derrubar todo um auditório com o poder de um sopro ou fazer pessoas manifestarem supostos  "encostos", pode até curar supostas enfermidades, pode manifestar carismas imensos, mas é incapaz de amar de verdade, ter paz e transmitir a paz, desenvolver paciência, ser bom e benigno, ter domínio próprio ou ser fiel. Não, ele é um blefe. Ele é como um show pirotécnico, muitos efeitos, mas totalmente inóquos, sem a menor consistência, de nenhuma duração. 

          Não é nas coisas que faz que o diabo se faz conhecido. É NAQUELAS QUE NÃO FAZ!  Por isso temos tanta dificuldade em identificá-lo, pois pensamos: " Ele canta, ele ora, ele participa, ele chora...", quando as perguntas deveriam ser: "Ele é real? Ele é sincero? Ele ama? Ele perdoa? Ele é leal? Ele é capaz de falar comigo olhando para os meus olhos? Ele reage como um crente? Ele é autêntico?" 

          Se você estiver procurando diabos em quem está fazendo alguma coisa, estará procurando no lugar errado e da forma errada. Jesus nos mandou não julgar, não procurar ciscos nos olhos dos outros. Mas leve a sua igreja à santificação, à consagração, leve o seu povo a um compromisso sério de ouvir e cumprir, de cantar e praticar, de sentir e agir, de ser carta aberta e gente sem segredos, e o diabo irá aparecer. Mais dia ou menos dia ele se manifestará. E não estrebuchará no chão, fazendo espetáculo: ele sairá fuzilando, irado, irritado, nervoso, atirando para todo lado. Pode ser que ele esteja disfarçado de linda e insinuante mulher, toda maquiada e perfumada. Ou num elegante homem de negócios, trajado socialmente dentro da mais fina moda. Talvez na pele de uma conceituada profetiza, de voz meiga e carinhosa, ou numa família dominadora. Pode surgir num jovem simulado, que faz muita pose no louvor, mas que é pura casca, ou mesmo num pastor, que fala bonito, mas que não vive o que prega, que só está interessado em fazer a igreja crescer, não fazê-la ser santa. 

          E se você ver o diabo, e estou falando do diabo-pessoa, diabo-gente, diabo-ser humano, como Jesus falou, ore por ele, para que seja convertido. Ele é servo do Diabo, o arqui-inimigo do povo de Deus. Os dias de Satanás estão contados, e ele faz tudo para destruir a Igreja do Senhor. Não vamos dar trégua - vamos resistir ao diabo, não com as armas das trevas, com ira, com ódio, com vingança, com maldições, com bate-bocas, com socos e pontapés. Vamos resistir ao Diabo sujeitando-nos a Deus, orando pelo próximo, não fazendo o seu jogo de hipocrisia. Agindo assim expulsaremos o Maligno. Não fazer a vontade do inimigo já é meio caminho andado. Se a tentação não tiver adeptos, ela murcha. Vamos secá-la! 

          "Sujeitai-vos a Deus, mas resisti ao Diabo, e ele fugirá de vós" (Tiago 4,7) 

Pr. Wagner Antonio de Araújo
Igreja Batista Boas Novas, Osasco, SP

O pecado quer te pegar!

10 de maio de 2011

Ômer, plantio e colheita... busca e comunhão com o Senhor..



Durante o ano bíblico, há uma época muito importante, chamada “Contagem do ômer”, este período cai entre a Páscoa e o Pentecostes, o Senhor ordenou aos filhos de Israel que contassem o ômer por 50 dias, ou seja, durante esses 50 dias, os filhos do Senhor teriam que primeiramente obedecer a esta ordem, ter OBEDIÊNCIA. Então começaria uma contagem. O ômer é uma medida de trigo ou cevada e, segundo a tradição, os agricultores saíam pelos campos no primeiro dia depois da Páscoa e marcavam os primeiros brotos, e durante esses 50 dias iam aos campos todos os dias, aguavam os primeiros brotos, arrancavam o mato em volta deles, cuidavam para se certificarem de que durante esse período os brotos cresceriam, amadureceriam, e por fim se transformariam em frutos ou grãos, que seriam totalmente entregues ao Senhor, como uma primícia dos primeiros frutos, e assim o Senhor prometeu, que se levássemos a Ele nossos primeiros frutos, Ele nos abençoaria com colheitas abundantes.
E então você deve estar pensando, é interessante, mas o que isso tem haver comigo? E com a minha intimidade e comunhão com o Senhor?
Então se pensarmos nisso como nível pessoal, se trouxermos isso para nossas vidas, podemos enxergar de maneira espiritual, a forma que plantamos, semeamos e colhemos, nossos frutos diante do Senhor. E então para entendermos melhor, o que representa o broto a ser semeado? O broto seria os dons que o Senhor nos deu, e que ainda não desenvolvemos, porque todos os dons que recebemos do Senhor são como brotos, que precisam de cuidados, até que eles se amadureçam. O Senhor planta em nós esses dons, mas nós temos a responsabilidade de cuidarmos deles, e desenvolver esses dons em nós, tirar os “matos” ao redor para que eles possam crescer.
O que seria esses “matos” em nossa vida? Nada poderá atrapalhar mais nosso desenvolvimento e crescimento em Deus, que um caráter mau ou atitudes ruins. Todo ano o Senhor nos dá 50 dias para refletirmos e trabalharmos essas coisas em nós, para que a cada dia mais possamos crescer no Senhor, claro que queremos crescer durante todo o ano, durante toda nossa vida, mas durante esses 50 dias do ano é onde o Senhor dá ênfase no nosso desenvolvimento e crescimento com Ele, portanto uma das formas de arrancarmos todo mato e erva daninha da nossa vida é desenvolver a integridade em nós, orarmos, buscarmos o Senhor, buscarmos os frutos do espírito, pois então se gastarmos esses 50 dias para renovarmos nosso desenvolvimento e crescimento em Deus, provavelmente passaremos bem, o resto do ano, bem que quero dizer é em comunhão com Deus, e assim colheremos somente frutos bons da nossa busca e comunhão com o Senhor.
Estamos nesse período, portanto não podemos perder tempo, vamos buscar desenvolver o caráter de Cristo em nós, buscar as coisas vindas do ALTO, do SENHOR, pensarmos antes de agirmos, e tomarmos quaisquer decisões e atitudes nas nossas vidas, antes colocar a vontade do Senhor, e então nos fortaleceremos, não podemos esquecer que o diabo é astuto e nos tentará de todas as maneiras, tentando tirar nossa comunhão e busca com Deus, mas o Senhor é a nossa FORÇA nosso REFÚGIO!! 
QUEREMOS MAIS DE TI, JESUS!!

POR: Marcela Fernanda S. Fernandes

A importância de cantar a VERDADE!


O canto é um negócio arriscado, cantar para cristãos é um risco. Eu penso que temos visto os efeitos nas “disputas de louvor”. Na verdade, no estilo, “disputas de estilo musical”.
Você vê o poderoso efeito da música e o que pode acontecer com cristãos que foram mal ensinados, cristãos sem discernimento, assim como o efeito que se pode ter em líderes que estão fazendo um bom trabalho ao ensinarem a sua congregação sobre o que significa usar a música na adoração a Deus. E também quando os lideres não escolhem bons cânticos para a sua congregação.
Quando cristãos cantam, haverá na maioria dos casos, esse mover de nossas afeições, mover de nossas emoções. Elas devem ser utilizadas para servir as palavras que estamos cantando. Elas devem ser utilizadas para servir às verdades bíblicas que estamos proclamando. Os tons, as progressões, as melodias, os arranjos, elas servem para uma única coisa, que é: Magnificar a grandeza de Deus em Jesus Cristo.
O que acontece é que temos reuniões em que os cânticos não possuem muito conteúdo, nós não temos uma clara imagem de quem Cristo é e o que Ele fez. Nós temos alguns indícios, algumas ideias, mas em sua maioria as palavras só tem haver com o que sentimos, com o que pensamos, com as nossas reações, os nossos desejos, as nossas necessidades. Essas coisas são boas e até estão incluídas em alguns salmos. Essas reações subjetivas às verdades de Deus, à realidade de Deus, às obras de Deus, à palavra de Deus. Mas elas não são a substância, não são a parte central. O principal é a glória de Deus que é revelada na sua Palavra, especialmente por meio de Jesus Cristo.
Portanto, a musica é utilizada para servir a estas realidades, serve para complementar estas realidades. Há momentos em que elas dominam essas realidades, em que sobrepõe essas realidades, e até momentos em que estas realidades nem sequer estão muito presentes nos cânticos que cantamos. Em razão disso, quando uma igreja canta cânticos que são fofos, rasos, leves, na sua maioria subjetivos, a resposta natural, a resposta mais previsível será as pessoas serem apanhadas pela música, pelas sensações, pelas emoções e experiências ao invés de serem cativas por quem Deus é e o que Ele fez por nós em Jesus Cristo.